10.6.09

Done.


É frustrante ser ignorada, é frustrante não me conseguir fazer ouvir, é frustrante ser acusada de coisas que não sou... É frustrante pensar que a pessoa que está ao nosso lado nos conhece e no fim não é nada disso que se passa. É a que nos conhece pior, não faz a mínima ideia do que somos. Constato isto porque se assim não fosse, não me teria dito certas coisas e afirmado características minhas, com a maior das certezas. É verdade que dói muito, apenas ouço o que ele tem para dizer e ele não ouve o que eu lhe tenho para dizer a ele, é triste não se ter essa capacidade. É triste achar que só o que ele sente é que é importante. Eu não sinto, não tenho sentimentos, não tenho os meus dias maus, não tenho coisas na vida que me fazem ficar de rastos... Aos teus olhos não tenho. Aos teus olhos tenho de me anular inteiramente para viver a tua vida. E no fim? No fim ouço frases como: "Não me apoias.", "Não estás comigo para nada!"... Cansa, mói até não se aguentar mais. É triste achar-se o centro do mundo e é ainda mais triste achar que só os problemas dele têm importância. Uma relação é feita de dois, certo? É que há algum tempo que me esqueci disso... Esqueci-me de mim de tanto viver a tua vida. É triste não conseguires perceber que também tenho uma vida para além de nós, é triste não perceber que não a estás a tornar melhor e é ainda mais triste usares a tua doença como ponto de partida para todas as nossas discussões. É o último texto que escrevo acerca disto porque acabou. Tudo acabou. Lembram-se de vos ter dito, mais abaixo, que aos meus olhos doía-me estar com uma pessoa durante anos para no fim nos separarmos do nada? É verdade. Mas foi inevitável. Eu tentei, tentei muito. E acredito que ele também, não sei. Estou cansada, preciso de mudar a página e de dar atenção às pessoas que realmente gostam de mim e me veêm como um ser humano, com sentimentos, com amor para dar, com integridade... Sim, integridade. E é a isto que tudo se resume. Não digo que vai ser fácil, nada disso. Mas hei-de conseguir. Tenho perfeita noção que os tempos que se aproximam vão ser duros, mas mais duro é continuar com esta falsidade toda a que sempre me recusei viver. Não vou continuar aqui, desisti! Nunca desisti de nada na minha vida, és a primeira. Estou muito cansada de ser a culpada de tudo o que mau acontece, estou muito cansada de ser criticada, de ouvir coisas que não sou, estou cansada de batalhar com a minha cabeça a minha verdadeira personalidade. Estou tão magoada, sinto-me de rastos como se este tempo todo tivesse andado a correr numa maratona sem meta, acordo cansada, desgastada tanto fisica como psicológicamente. É, tu esqueceste-te mas eu tenho sentimentos. Acredito que quando o que estás a passar, for ultrapassado, vais ter noção daquilo em que te tornaste, pois eu acredito piamente que não és assim, vais ter noção de que me perdeste, vais ter verdadeira noção do que eu tentei fazer por ti todo este tempo. E se eu não te apoiei, pois convito-te agora a viveres sem mim, para veres realmente quem te apoiava.

5 comentários:

TFerreira disse...

Tenho sentido nestes ultimos dias, muito do que descreveste neste texto.
Perguntaste-me o q s passou cmg? Passou-se parte disto, esqueci-me de viver a vida da T. e passei apenas a viver a do D.. As pessoas não nos valorizam, dedicamos anos em torno delas, e no fim ouvimos e sentimentos coisas impensáveis. Creio, piamente, que mais do que nós eles também sofrem, ainda mais quando o tempo passar e nós já não estivermos lá. Sim, porque nós ainda lutamos, e não queremos deixar as coisas acabar... Mas chega a um ponto, que as forças escasseiam, e deixamos de conseguir lutar... e sim, somos seres humanos, e também desistimos.

Muita força * Beijo

ajoanita disse...

São fases, mas que passam...

paperdoll disse...

não acho que seja "desistir", dá uma ideia errada da coisa, como se fosses fraca. na minha opinião, é "parar de lutar". significa que deste o teu melhor, entregaste-te a 100% e depois escolheste a altura certa para parar de o fazer, de forma consciente e reflectida. tens todo o direito. não és obrigada a ouvir aquilo que não gostas umas vezes a seguir às outras e engolir. na verdade, não és obrigada a fazer nada que não queiras.
a experiência diz-me que eles acabam por se arrepender, choram, fazem fitas e querem voltar vezes sem conta. posso estar enganada, mas foi o que aconteceu comigo. se não estás mesmo certa do que fizeste, vais acabar por ceder e magoar-te. até que um dia tudo termina mesmo, para sempre. e aquela ideia de não tornar a falar com ele, que neste momento é estranhíssima, vai acontecer naturalmente. nem vais reparar. faz tudo parte do crescimento, i guess!

Joana disse...

e conseguir isso? ...

L. ♥ disse...

Concordo com a paperdoll. Desistir é diferente de parar de lutar. Ás vezes não dá para lutar mais, mas isso não significa que tenhas desistido. Jany, isto é só uma fase. Daqui a uns dias já está tudo bem vais ver. :)