9.6.09

O amor, mais uma vez...

Porto, 2009

Pergunto-me e volto a perguntar. É uma coisa que não me sai da cabeça... Será que o tempo estraga, cansa? Será que já todos os minutos são contados e que com isso o interesse que tínhamos cai no chão e em conjunto com a água que corre das chuvas, foge? O que é que acontece agora, quando já mais planos foram definidos mas nunca cumpridos... Planos que têm a duranção de dois dias e que depois são esquecidos com uma naturalidade assustadora. Faço-te perguntas às quais não tens resposta, nem eu, afinal de contas andamos os dois aos zigues-zagues neste universo confuso e demasiado complexo. As atitudes já nao contam, as respostas não têm mais valor, as afirmações nao têm lógica... E a carência? Essa é demais. Será que o amor tem realmente um fim, um ponto final? É isso? Crescemos juntos, vivemos experiências únicas para no fim cada um seguir o seu caminho e nunca mais se encontrar? Não me parece, não faz sentido aos meus olhos. As pessoas estão juntas e se algo poderoso as une, por algum motivo será. Sim, estamos com problemas, não o vou esconder, até porque nos últimos tempos não sabemos ser outra coisa senão um problema. Mas a verdade, e é isso que me faz ficar mais calma, é que no meio desse problema já tivemos momentos fantásticos, tu sabes. Enfim, não quero acreditar que o futuro do amor seja este, a não existência dele mesmo ou o esquecimento profundo de tudo o que ele nos trouxe. Urgh! É mesmo muito complicado exprimir por palavras todo o turbilhão de frases soltas e pensamentos desorientados que tenho na minha mente, neste momento. É mesmo melhor ir...

3 comentários:

paperdoll disse...

há coisas que parecem para sempre e não são. já passei por algo muito semelhante. acabamos por aceitar que as pessoas crescem em direcções diferentes e que não há nada de errado com isso.

enfim, achamos sempre que a nossa situação é diferente do resto (eu tinha a certeza que comigo era, tu também deves achar) mas não é. por muito cruel que pareça, daqui a uns anos não vais estranhar nada estas frases. no entanto, é bom passarmos por todas as experiências e não apenas acreditarmos no que os outros dizem. ajudam-nos a crescer. e como diz o outro, o que não nos mata, torna-nos mais fortes!


ps: conheço essa estátua mas não te vi com uma polaroid no porto... voltaste lá? :)

Joana disse...

poladroid, ana! :p

obrigada pelas palavras... deixate-me com medo! mas sei perfeitamente o que queres dizer assim como tambem entendes o que sinto! obrigada * :D

paperdoll disse...

apesar de não ser "verdadeira", acho que não podias ter escolhido melhor imagem vs título! amor e porto têm tudo a ver, e eu aqui longe estou uma pinga amor incrível!

e não tenhas medo, mesmo. é tudo tão natural... e se encarares as coisas com optimismo, vais ver que tudo o que acontece é pelo melhor, mesmo que naquele momento aches que o teu mundo está prestes a acabar. (detesto que me venham com estes conselhos de caca, prefiro que me deixem descobrir por mim mesma e não se armem em "sabichões", por isso é que nunca disse nada. no entanto, achei que agora devia dizer algo sobre o assunto, pelo menos sobre a minha experiência! não te vou dizer que não vale a pena lutar por algo em que acreditas, porém pode acontecer de as circunstâncias mudarem, as pessoas mudarem, tudo mudar, e tu percebes quando é altura de parar de lutar, por muito que te custe. passado um tempo olhas para trás e percebes que foi pelo melhor.)