13.8.09

A noite


Eles ontem tiveram uma noite sem palavras. Foi daquelas noites em que não é preciso fazer-se nada e as coisas acontecem tão naturalmente como se de um gesto ou de uma palavra se tratasse. Ontem eles os dois, tiveram uma daquelas noites que ficará no compartimento d'os momentos que nos consolam a alma e nos aquecem o coração. Ficará também no compartimento d'os momentos jamais esquecidos, daqueles que apenas se partilham com os que mais gostamos. Foram tantos os sentimentos que pairavam no ar que a indefinição é uma realidade. Na noite anterior tinham tomado conhecimento que seria noite de chuva de estrelas. Já tinham assistido a uma há dois anos atrás, no Alentejo, que sempre recordaram como uma noite mágica no verdadeiro sentido do termo. Queriam sentir de novo toda aquela força, há muito que ansiavam por outra daquelas noites e sabiam que o mês de Agosto é quando isso mais acontece. Ontem foi a noite. Dirigiram-se ao piso superior da casa, no campo, pouco iluminada para a visibilidade das estrelas ser maior, levaram dois sofás, um edredon e assim ficaram à espera que anoitecesse. O encontro com as estrelas foi imediato, a transição do dia para a noite foi lento, mas rapidamente alcançaram pontos brilhantes no céu, que foram acentuando com o passar das horas. Ali ficaram. Aconchegados pela suavidade dos cobertores e no conforto dos sofás, com o B. aos seus pés a aquecê-los, ali permaneceram até à altura. Não estava uma noite de Verão. Sentia-se o frio o que os fez aconchegarem-se até ao pescoço. Com o cair da noite, começaram-se a ver os pontos brilhantes a arrastarem-se pelo céu, as tão desejadas estrelas cadentes deram de si. Perderam a conta à quantidade de estrelas que os seus olhos alcançaram. E ali ficaram a contá-las, distraídos naquela imensidão, naquele terraço que se tinha transformado no seu palco para o céu. O tempo passou e eles nem conta deram. Regressaram bem mais felizes, com uma paz de espírito imensa e com a certeza de que tudo o que fazem juntos sabe sempre melhor.

(imagem *ffffound.com)

3 comentários:

Filipa disse...

as estrelas cadentes têm poderes, sempre achei... tenho muita pena não ter podido ver o espetáculo.. :(

Joanne disse...

Fizeste-me sonhar por momentos desses com a tua descrição!

L. ♥ disse...

Ai Jany, se fosse fácil até já teria voltado. Mas muitas coisas mudaram agora não me passa pela cabeça nada mais do que a enorme amizade que temos.

Beijinho cheio de saudades. *