19.2.10

Um retrato

Conseguiste deixar-me perplexa com esta tua forma de me entederes tão bem. Não é por acaso.

«(...)Mas o encanto das cobras morre assim que elas mordem a sua própria língua. Morrem de inveja, morrem com o desejo de brilhar e com a vontade de arrastar multidões. Querem olhar ao espelho e dizerem "tenho o mundo aos meus pés" mas a única coisa que têm aos pés delas não são mais do que duas ferraduras de um qualquer hipomorfo do sexo feminino.
Gritam, gemem, desejam e amam chamar a atenção, no fundo todos gozam. Sim, todos gozam. Gera-se um burburinho de fundo que comenta, reprova e admira a ignorância que sempre esteve presente num pedaço de cérebro onde o mofo intoxica todas as partículas de um corpo. Sempre ouvi dizer que a "sorte de cadela" não é coisa que dura muito tempo. E quando a mascara cair, fodasse cai mesmo de vez.»


Ivan Simão, 19 de Fevereiro de 2010

3 comentários:

I. disse...

;)

Always here for you babe!

E não disse tudo, mas isso tu já sabes!

Gabriela disse...

«E quando a mascara cair, fodasse cai mesmo de vez.» - sem duvida, perfeito.

Marta disse...

ADOOOOOOOROOOOOOOOOOO!